COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

Negociar sob pressão

Brasília — A decisão do Presidente da República de impor ao seu Partido e, em decorrência, a todos os Partidos, o pacote de medidas que, em substância, proíbem a coligação e obrigam os Partidos a disputar em todos os níveis como candidatos próprios e votos rigorosamente vinculados, é, para ficar no óbvio, um ato de autoridade, um ato de poder. O Governo foi induzido a adotá-lo em conseqüência da perda de controle do Congresso e da bancada do Partido político constituído para dar-lhe apoio e cobertura. Em represália à situação de desprestígio parlamentar, que conduzia a previsões de nítidas derrotas eleitorais no próximo ano, o Presidente determinou uma rearrumação da casa de maneira drástica e imperativa. Mas há uma diferença entre o pacote atual e o pacote de abril, embora intrinsecamente se assemelhem, como emanações do autoritarismo ainda vigente. Em 1977, puniu-se o Congresso e modificou-se substancialmente a Constituição, mediante atos de exceção. Agora o [...]
27/11/1981

"Uma carta típica que recebo sempre tem um desenho da foto do Vladimir Herzog, com um homem enforcado, e os dizeres: 'O próximo será você, seu efedapê.' "

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]