COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

Governo deve rever o 2.064

Brasília — O Governo está na contingência de tomar uma de três medidas para dar viabilidade à política salarial: 1) republica o Decreto-Lei 2.064 para dar-lhe a redação correspondente aos compromissos dos Ministros do Planejamento e do Trabalho como PDS; 2) substitui o 2.064 por outro Decreto-Lei, na linha do que combinou com o PDS, a fim de que possa o mesmo ser submetido à aprovação do Diretório Nacional do Partido; 3) reabre as negociações para que os Partidos se entendam e formulem um projeto de lei que seria votado imediatamente pelo Congresso.

Tal como está, o Decreto-Lei 2.064 encontra extrema dificuldade de ser adotado como questão fechada pelo PDS ou de ser objeto de negociação com outros Partidos ou frações partidárias. Os itens que fogem ao combinado com a presidência e as lideranças do PDS são os seguintes: a) aumentos em faixas salariais que excluem a cascata, ao contrário do que ficou expressamente combinado entre o Senador José Sarney e o Ministro Murilo [...]
25/10/1983

"Em matéria de liberdade de imprensa, o que há a fazer, se pretende a restaurar a democracria, é devolvê-la na íntegra. Os jornalistas, como os demais cidadãos, são responsáveis pela segurança nacional."
declaração de Castello Branco em janeiro de 1971

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]