COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

As causas do desinteresse

Brasília — Saiu-se bem, ao responder as críticas que se vinham fazendo, inclusive nesta coluna, à interpretação restritiva da lei que regula a propaganda eleitoral, o Ministro Thompson Flores, presidente do TSE. Na verdade, bem examinada, a lei é rígida, prestando-se mal à incidência de uma hermenêutica liberal e, como lembrou o Ministro, ela foi feita pelos Partidos que a discutiram e adotaram nos limites da liberdade consentida de que gozaram na sua elaboração. O objetivo geral da lei é impedir a influência do poder econômico no processo eleitoral, adotando providências que vão desde o financiamento do transporte e alimentação dos eleitores no dia do pleito até a limitação da propaganda no rádio e televisão aos horários oficialmente estabelecidos pela Justiça Eleitoral e, nos jornais, a normas muito estreitas. A extensão dessas limitações ao exercício da liberdade de imprensa, que se vislumbrou na interpretação da Justiça, parece ter sido a contribuição menos liberal dos juízes ao [...]
08/10/1974

O povo não tem uma consciência política muito nítida. Ele é muito arrastado pelos acontecimentos. No dia 24 de agosto, o povo estava contra Getúlio, então quando Getúlio suicidou-se, o povo desfilou no Palácio do Catete para homenagea-lo, chorando na maior emoção.

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]